O consumo nacional de diesel, importante parâmetro da atividade econômica, registrou, em setembro último, uma queda de 1,6% relativamente ao mesmo mês do ano passado e de 8,1% em relação a agosto último, segundo dados contabilizados pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP. A despeito dos dois resultados negativos, no acumulado do ano o resultado ainda é positivo, da ordem de 1,2%.

Ainda de acordo com a mesma fonte, no Rio Grande do Sul, a queda no consumo de diesel foi um pouco mais significativa. O volume comercializado no Estado caiu 9% entre setembro e agosto deste ano e no acumulado de nove meses o tombo foi de 0,2%.

Logo, houve menos consumo dos caminhões que circularam no transporte de produtos e dos tratores na agricultura.

Queda nas vendas de GLP

Os números são igualmente negativos para o consumo de gás liquefeito de petróleo – GLP – também conhecido como gás de cozinha: entre setembro último e o mesmo mês do ano passado, sua venda ao consumidor final caiu 4,2%; já entre setembro e agosto, a queda foi de cerca de 20% e no acumulado dos nove primeiros meses do ano as vendas diminuíram 1,1%.

De acordo com a ANP, o consumo de 66.098 m³ foi o menor para um mês de setembro desde o ano 2000.

Esses números chamam ainda mais a atenção, dado que o GLP é consumido amplamente pela população, por seu emprego sobretudo na cocção de alimentos. Em média, a venda dos recipientes (botijões) com até 13k – os mais consumidos popularmente – representam pouco mais de 60% da venda total de GLP no Estado. E neste seguimento a queda no consumo foi de 17,5% entre setembro e agosto últimos e de 3,2% no acumulado do ano.

Nesse caso, além do aumento nos preços desse combustível, o impacto maior foi mesmo dado perda do poder de compra do consumidor, motivada pelo aumento do desemprego, que, por sua vez, decorre da crise econômica. Se o preço sobe para a gasolina, num ambiente de queda no poder de compra, o consumidor abastece seus veículos com menos combustível, deixa o carro mais tempo na garagem e usa mais o transporte público, entre outras alternativas. Para o GLP, o consumidor só reduz o consumo no último caso, substituindo, no limite, por fogão a lenha para o cozimento dos alimentos.

 

Consumo de Combustíveis em Queda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *