O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) condenou nesta quarta-feira, 10, a BR Distribuidora e a Ipiranga por terem ajudado postos de combustíveis de Belo Horizonte e cidades de Minas Gerais a formarem cartel.

Investigada neste processo, a Raízen foi absolvida pela maioria do conselho das acusações. Em novembro do ano passado, o Cade já havia firmado acordo com a Alesat para encerrar a investigação contra a empresa neste caso, quando a empresa pagou R$ 48,6 milhões e se comprometeu a colaborar com as investigações.

Também foram condenados 27 postos de combustíveis e 12 pessoas investigados por formação de cartel. As infrações foram cometidas pelo menos entre março de 2007 e abril de 2008, segundo o Cade. No total, foram aplicadas multas que chegam a R$ 156,9 milhões, conforme o Conselho.

Em 2017, o Cade também firmou neste mesmo caso cinco acordos pelo qual o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais (Minaspetro) e dez postos de combustíveis pagaram juntos R$ 13 milhões em multas.

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) condenou nesta quarta-feira, 10, a BR Distribuidora e a Ipiranga por terem ajudado postos de combustíveis de Belo Horizonte e cidades de Minas Gerais a formarem cartel.

Fonte: sites do em.com.br e do G1

Cade condena BR Distribuidora e Ipiranga por cartel de postos em MG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *